“Guns, Germs and Steel” and Lean

O livro Guns, Germs, and Steel – Jared Diamond, é um clássico que discorre sobre os motivos pelos quais povos de determinadas regiões do globo dominaram o planeta inteiro, extinguindo outras sociedades, línguas, costumes…

Em determinado momento do texto é feito um questionamento que chega a dar um nó na mente. Após descrever como aconteceu a conquista de Francisco Pizarro sobre o império Inca a pergunta feita foi, mas por quê ao invés disso não tivemos Atahuallpa (imperador Inca) invadindo a Europa?

A primeira resposta é que os Europeus possuiam:

  • Germes – eram vetores de diversas doenças às quais os indígenas não possuíam resistência, levando-os assim a morte ou debilitando-os em batalhas;
  • Armas de fogo, espadas e armaduras – que eram muito mais eficientes em batalha que as armas Incas.

Mas por que os Europeus possuíam e os Incas não? Algo que o autor já deixa bem claro é que raça, cor de pele, tipo de cabelo não tem nada a ver com isso. Para responder, vou tentar usar algumas ferramentas de lean:

Diagrama de Ishikawa – causas para os Europeus terem derrotado os Incas

Depois de levantar uma série de possíveis causas, vamos tentar aprofundar um pouco mais com os 5 porquês, que sinceramente é uma das ferramentas mais fáceis de explicar e difíceis de fazer que conheço. Acho bem difícil saber se chegamos de fato à causa raiz e tenho dificuldade em saber se o grupo está sendo tendencioso na análise por já achar que tem a solução para o problema.

Ferramenta 5 porquês para Guns, germs and steel

Em resumo, o fator mais determinante para o desenvolvimento de uma sociedade no que diz respeito a tecnologia e hierarquia é a localização geográfica. Sociedades que surgiram onde havia uma abundancia maior de espécies domesticáveis para produção de alimento começaram na frente, e se a facilidade de contato com outras sociedades é maior (para trocar experiências, sementes ou tecnologia) mais rápido e fácil é o desenvolvimento desta sociedade.

A escrita e a agricultura surgiram em poucos locais e foram sendo “copiadas” por sociedades vizinhas. Ou seja, o fato de Pizarro ter nascido na Europa deu a ele a vantagem de ter milhares de anos de troca de experiências entre Norte da África, Europa e Ásia desenvolvendo agricultura, sociedade, escrita, metalurgia ao passo que os Incas possuíam menos espécies potencias para produção de alimento e menos acesso a outros povos para troca de tecnologia.

Pelo jeito, esta conversa sobre privilégios vem de muito tempo.

O que achou? Gosta da abordagem de Guns, germs and steel? Ishikawa e os 5 Porquês foram usados corretamente? Comente aí…

Capa do livro

Link Amazon: https://www.amazon.com/Guns-Germs-Steel-Fates-Societies-ebook/dp/B06X1CT33R

Um comentário sobre ““Guns, Germs and Steel” and Lean

  1. Republicou isso em e comentado:
    Por que Francisco Pizarro conquistou o império inca, e não o inverso (o império inca conquistou a Europa?). O meu amigo Diego Piva faz uma análise, baseado no livro “Armas, Germes e Aço”, de Jared Diamond.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s